12/01/2013 – Sea World

Acordamos no horário de sempre, tomamos café da manhã e partimos para o Sea World.
Mas antes de começar o relato do parque, quero falar um pouco do café da manhã do Pop. Como eu adoro, essas porcariadas americanas. Na verdade eu não como os hambúrgueres com bacon, salsicha e panqueca com hambúrguer que eles comem logo cedo. Mas os ovos, a pizza, os waffles me dão uma saudade… Estou babando !!!
Olha a minha preferida, Breakfast Pizza !!!
Eu intercalava entre Croissant de Chocolate, Sanduiche de Frios, Breakfast Pizza, Waffle com calda de Chocolate e Ovos com Batatas.  Para beber, meu clássico café com leite, esse não tenho muita saudades não, americano não sabe fazer café e suco de laranja.
E de vez em quando, mais para de vez em sempre, pegava um bolinho de chocolate pra enganar o estômago no parque.
Bom… Chegamos no parque e ele estava abrindo. Claro que tem aquela parada para foto em frente ao farol.
Entramos com nosso ingresso personalizado. Sim, nosso ingresso era muito chique, tinha até nossa foto.
Mas isso não é mérito só nosso. Quando você compra os ingressos todos juntos através do site do Discovery Cove (+Sea World, Aquática e Busch Gardens), você imprime um voucher com código de barra que é seu ingresso. Não sei exatamente como faz quando você vai aos outros parques primeiro, mas quando você inicia pelo Discovery Cove eles trocam seu voucher por cartões com fotos que são tiradas no check in do parque e neste cartão vem todos os ingressos para os outros parques. Já ouvi falar que se você for primeiro nos outros, seu ingresso é o papel mesmo. Então tem que ter maior cuidado para não molhar e perder os outros ingressos contidos nele, mas se eu estiver errada me corrijam, ok ?!!!
Já dentro do parque, adivinhem qual brinquedos nós fomos primeiro? MANTAAAAAA, claro !!! E com direito a repeteco. Como é boa essa montanha-russa. Adoro !!!!!
Depois passamos pelo Pelican Preserve (um cercadinho com pelicanos) e nos encaminhamos ao Dolphin Theater para assistir Blue Horizons. Um show de golfinhos lindo de viver !!!!
Passamos pelo Stingray Lagoon (tanque com arraias para tocar e alimentar), pelo Dolphin Cove e Underwater Viewing e fomos ao Turtle Trek.
Apesar do pré-show ser longo (você vai entrando em algumas salas, onde tem aquários enormes e um funcionário vai falando curiosidades sobre as tartarugas), o filme 360 é muito bonito, chegou até a me emocionar no final. Mas chorar é comigo mesma, né ?!!! Rsrs
Voltamos para a parte dos golfinhos pois estava próximo da hora de alimentá-los.
Enquanto estávamos (eu e o Rogério) dando comida aos golfinhos, o resto do povo não quis ir e ficaram esperando do lado de fora. E a Larissa e o Daniel aproveitaram para dar comida para as arraias.
Os golfinhos são fofos demais né ?! Quem sabe em uma próxima encarnação eu não tenha uma casa num paraíso onde eu more na beira do mar e tenha um golfinho no meu “quintal”. Um golfinho livre, que de vez em quando venha me dizer “oi” e nadar comigo. Sonhar não custa nada né ?!!!
Após a hora fofura do dia, era a hora da adrenalina. Kraken nos aguardava.
Depois de duas voltinhas nela, nos dirigimos ao Sea Lion & Otter Theater, assistir Clyde and Seamore. Quando chegamos o show já havia começado, mas deu pra se divertir bastante. Eles são bem engraçados e inteligentes. Depois de Blue Horizons esse é o show que mais gosto.
Não tínhamos ido em 2011 então demos uma passadinha no Pacific Point Preserve. Os Leões Marinhos são bem barulhentos e tinha um que eu comecei a ficar com medo de que ele fosse cair do tanque. Ohh, bicho destemido !!!
A fome apertou e fomos tentar almoçar no Sharks Undewater Grill. Eu sabia que precisava de reserva, mas quem sabe como o parque não estava lotado, se tivesse lugar ou eu pudesse reservar para um tiquinho mais tarde. Mas não teve jeito, fui perguntar (e perguntar não ofende) e só tinha reserva para 16:00h até lá a gente já teria morrido de fome.
Para quem estiver pensando que a gente queria dar “o jeitinho brasileiro” tentando conseguir uma mesa sem reservar cedo, já vou esclarecer.
Minha mãe estava novamente sem a cadeira de rodas e como o restaurante é do outro lado do parque resolvemos que iríamos fazer o parque em uma ordem sem muitas voltas para não cansá-la ainda mais. Se desse para comer lá tudo bem, se não encontraríamos outro lugar. E foi o que fizemos, mas primeiro entramos no Shark Encounter.

 

 

Marido ficou besta com o tamanho dos tubarões. Quando eu falei que eram enormes, ele não acreditou. Achou que fossem aqueles cações pequenininhos que a gente está acostumado a ver nos aquários brasileiros. A cara dele vendo os bichões foi bem engraçada.
Agora sim, fomos procurar um lugar pra comer que não fosse o Mango Joe’s Café (péssima experiência em 2011) e encontramos o The Spice Mill.
 

 

Sinceramente, não sei qual é pior Mango Joe’s Café ou The Spice Mill. No mesmo estilo do primeiro, você anda em uma fila com a bandeja na mão e pega o que você quer, mas são “pratos prontos”, de sanduiche ou salada. O antendimento é péssimo. Você com cara de UÉ, sem saber qual sanduiche é qual, e a menina olhando pra você sem vontade nenhuma de explicar.

 

A maioria foi de hamburguer (um tanto normalzinho e nem tão saboroso) e para fugir do sanduiche minha irmã pegou salada. Coitada !!! A salada vinha praticamente com uma cebola e um tomate inteiro. Não estou falando em quantidade, estou falando em tamanho. Cada fatia de cebola e rodela de tomate deveria ter uns 4cm de espessura. Uma coisa horrorosa !!!
Apesar de tudo estávamos de barriga cheia e já podíamos continuar a diversão.
Fomos assistir a Shamu. Gostei mais do Believe em 2011, mesmo com todos os cortes depois da morte da treinadora. Mas vale a pena ir, afinal você está no Sea World e ver a anfitriã é obrigatório.

 

 

Agora, a historinha engraçada (pelo menos na hora rendeu muitas risadas):
Antes de entrar no show, em um dos caminhos próximo a entrada tinha uma barraquinha com aquelas “pistolinhas”em forma de baleia de fazer bolinhas de sabão. Minha tia queria comprar pra minha afilhada, mas o show já ia começar então falei, na saída a gente compra. Só que nós saímos por outro lado e aproveitamos e fomos ao Wild Artic. Saindo do Wild Artic fomos procurar a tal barraquinha, só que ela estava um pouco mais distante e em outra posição e já estavamos desistindo quando meu marido voltou e encontrou. Aí vira ele pra gente e fala: “Viu eu não disse que eu sabia onde estava?!” olha pro vendedor e numa respirada só diz pro coitado: “Nãoéverdadequevocêestavadooutroladoeagoramudoudelugar?”. Deu pena do cara. Ele ficou esperando meu marido terminar a frase sem entender uma palavra. Ele parecia um ponto de interrogação gigante e a gente começou a rir. Ele ficou muito sem graça, devia estar pensando que a gente estava tirando sarro dele. Depois até explicamos pra ele.
Fizemos o Wild Artic a pé, pois aquele helicóptero ninguém merece. E na “máquina”que você mede sua capacidade de prender a respiração, descobri que estou casada com um filhote de urso polar. rsrsrs

 

Depois, passearmos um pouquinho para tirar fotos e decidimos trocar Florida Mall por voltar mais cedo para o hotel e a piscina. Foi bem gostoso terminar o dia relaxando e curtindo o hotel.
Voltando para “casa”.

O povo das fotos a seguir não sabem afundar sozinhos para tirar fotos. Foi muito engraçado assistir as milhões de tentativas até resolverem que precisavam de uma ajudinha. Apesar de parecer que estão sendo afogados, as fotos saíram. rsrsrs

Bjs e até o próximo relato.
Melissa Prandato

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
gostou? compartilhe!
2
comentários
 
poderá gostar também de...

2 Comentários

  1. ana paula disse:

    Seu diário é lindo demais !!! Parabéns !!!!

Deixe o seu comentário!